A minha casa é um Activo ou um Passivo??

A minha casa própria e ainda para mais com uma hipoteca ao banco, é um ACTIVO ou é um PASSIVO???


Se formos a ver bem, do ponto de vista financeiro a minha casa é um PASSIVO!! Isto é um facto!!!


Agora!!!!.......


Na minha opinião, em Portugal a questão pode eventualmente ser vista por um prisma ligeiramente diferente!!

Volto a frisar, esta é só a minha opinião pessoal e não se trata de nenhum aconselhamento financeiro, é só a minha visão acerca do assunto!!

Como sabemos em Portugal não temos um mercado de arrendamento estável, regulado e com preços ou legislação estabilizados, pelo que é mais barato pagar uma renda ao "senhorio banco" do que a um "senhorio proprietário", ainda para mais em contexto de juros baixos!!

Por este facto, eu encaro o financiamento da minha casa, como "um contrato de arrendamento com opção de compra", ou seja, continuando a pagar a prestação, chego ao final do contrato e a casa fica minha, e nessa altura a casa converte-se num activo.

Temos que ter atenção para o facto de escolhermos bem o que vamos comprar, não devemos dar um passo maior que a perna e devemos comprar uma casa que se ajuste ao nosso rendimento. Mesmo que não seja a casa dos nossos sonhos, devemos cumprir o máximo de requisitos possível, mas sem hipotecar a nossa vida, escolhendo bem e fazendo uma boa compra, pois é precisamente aqui na compra que está o ganho.


Não devemos ficar reféns da nossa própria casa!!


Por outro lado devemos ter atenção ao valor total que vamos pagar pela casa ao fim de 30 ou 40 anos!! O chamado MTIC*, que quase ninguém repara nas simulações bancárias!!!

Por isso, na minha opinião, a minha casa é um PASSIVO, passível de se tornar um ACTIVO, como?

Muito simples, se incluirmos todas as despesas ao longo da vida, prestações ao banco, seguros, valores de condomínio e manutenções, o valor todo somado deveria ser menor que o valor de mercado nessa altura.

Apesar duma casa não ser um activo líquido, ou seja, não é transformado em valor monetário de um dia para o outro, podemos imaginar nessa altura mais tardia da nossa vida, vender a casa (totalmente paga) que já não se ajusta às nossas necessidades e comprar outra a pronto pagamento, sem financiamento, que “caiba” dentro das nossas necessidades (....ou sonhos), ....ou até ficar com uma quantia que nos permita investir e obter retornos para o resto da vida!! Como por exemplo comprar uma segunda casa para obter rendimento!!

Eu sei que é uma visão diferente dos conceitos de finanças pessoais e até dos conceitos financeiros por assim dizer, mas é a minha visão e para mim a minha casa é como uma conta poupança que vou mantendo, melhorando e cuidando, de forma a continuar a ter valor e suscitar interesse no mercado.

Como se costuma dizer, “A minha casa é o meu mundo!” e o meu mundo não tem preço!!


*O MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor) corresponde ao montante total que o cliente terá de pagar ao banco durante todo o período do empréstimo. Calcula-se somando o montante total do empréstimo com os custos do crédito (juros, comissões, impostos e outros encargos imputados pelo Banco).

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo